ColunasMaykon Santos

Coronavírus e H1N1

Por Maykon Santos*

Qualquer comparação agora só faz sentido se tiver no cálculo projeção (ainda não morreu, mas poderá morrer se isso ou aquilo não for feito).

E/ou se for sobre o mesmo período.

Então, vamo lá.

A) Coronavírus e H1N1 no mesmo período
Em 29 dias a Covid-19 infectou 2.224 pesssoas e matou 47, enquanto em período similar, a H1N1 havia infectado 627 pessoas e matou uma.

B) Casos totais hoje
O H1N1 teve seu surto entre maio e agosto de 2009 e até o final do respectivo ano contaminou 50.482 pessoas e matou 2.060 ou 4% dos casos confirmados. A taxa de letalidade foi estimada em 0,08% na pior das hipóteses e 0,01% na melhor.
Medidas de mitigação foram tomadas (fechamento de escolas, hoje o (seu)presidente não quer nem isso).

Aqui, são 8 meses de comparação contra 1. Então, é necessário fazer projeção futura para o Coronavírus. A Covid 19 pode contaminar 80% da população em 4 meses sem nenhuma medida de contenção (acompanhar individualmente cada caso – hoje impossível no Brasil -; mitigação – fechar escolas, faculdades e diminuir circulação-; supreção – fechar tudo que não for essencial em curto prazo para a sociedade se manter). Isso no Brasil são 170 milhões de pessoas. Medidas foram tomadas no país e não chegaremos nesses números. Mas somente na região metropolitana de São Paulo e do Rio de Janeiro moram 35 milhões de pessoas. E estas enfrentarão um grande surto.

Se projetarmos a porcentagem de casos confirmados em 2 meses da doença da Lombardia/Itália (10 milhões de pessoas, 30 mil casos e 4000 mortos) para essas regiões, serão 25 mil casos em mais um mês e 8 mil mortes aqui (e possivelmente serão). E mais serão infectados e morrerão depois.

Para finalizar. A taxa de mortalidade estimada do Coronavírus vírus hoje é de 1%. 100 vezes mais da melhor hipótese do H1N1. E 14 vezes mais do que a pior hipótese.

*Maykon Santos é professor das redes públicas municipais de Cubatão e Santos, historiador, militante do Círculo Palmarino, do PSOL e em defesa da educação pública de qualidade.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Fechar