Opinião

Combate ao fascismo!

Da Redação

O país volta a ser assolado pelo fascismo. E mais uma vez, temos a tarefa de dar combate a essa horrenda forma de opressão capitalista. Como sempre, houve usurpação baseada na mentira e na manipulação das massas trabalhadoras. A história nos ensina sempre.

Em 1930, a burguesia industrial implantou uma ditadura com ares de renovação e modernização econômica e social. Depois, essa mesma burguesia deu o auto golpe do Estado Novo, baseada na mentira de uma suposta conspiração comunista de tomada do poder. Era o chamado “Plano Cohen”, gestado no Estado Maior do Exército pelo militante integralista e capitão Olímpio Mourão Filho, que misturava comunistas e movimento judaico de controle político na suposta conspiração para a tomada do poder. O país mergulhou numa ditadura por longos anos seguidos, com a proteção do exército nacional.

A classe trabalhadora resistiu e derrotou a ditadura e o fascismo, com muita luta e muitos sacrifícios individuais e partidários.

Com a redemocratização, a direita brasileira, com a participação e apoio do exército nacional, tentou destruir as conquistas da classe trabalhadora por todos os meios, mas enfrentou a resistência da classe trabalhadora e seus partidos. Várias tentativas de golpe de Estado foram derrotadas, também com muita luta e sacrifícios.

A burguesia voltou a usar sua face fascista e militar no assalto ao poder, em 1964. Foi dado um golpe de Estado baseado em mentiras e desestabilização da democracia e, pela primeira vez, a direita brasileira foi ostensivamente dirigida e financiada pelo imperialismo, que tirou frutos valiosos da ditadura militar imposta, dominando a economia nacional, associada à burguesia reacionária nacional.

O processo democrático, popular e nacionalista foi destruído com muita violência e implantada uma ditadura militar, usada para sufocar a organização popular, com um número enorme de perdas de vidas humanas para a classe trabalhadora, ceifando quadros políticos de ótima qualidade, formados num longo processo histórico de lutas. A classe trabalhadora e a esquerda, em particular, deram rigoroso e incansável combate ao fascismo, e nunca desistiram da luta.

Não derrubamos a ditadura militar fascista, mas nós a derrotamos. Por não termos tido o controle do processo, a redemocratização foi feita pelo alto e não se conquistou controles do Estado que garantissem o cerco ao fascismo. Mas, mesmo assim, os direitos sociais da população foram conquistados a duras penas.

Agora o fascismo volta com força e uma agressiva face obscurantista, baseada na ignorância. Mais uma vez, a burguesia nacional teve a direção e financiamento do imperialismo para a tomada do poder, mas desta vez foi através de eleições manipuladas, conquistando uma inusitada e aparente legitimidade eleitoral e legal. Como sempre foi no passado, se baseou na mentira e manipulação das massas trabalhadoras.

Apesar de desorganizada e sem um partido unitário ou hegemônico do processo de resistência, a esquerda e a classe trabalhadora devem buscar os exemplos de resistência em nossa história para fazer a luta contra essa forma de dominação e opressão capitalista.

Mais uma vez a classe trabalhadora terá de dar combate ao fascismo e derrotá-lo. Será apenas uma questão de tempo e persistência. Provavelmente, mais uma vez, pagaremos um preço pela decisão de dar combate ao fascismo, mas dessa luta não temos como fugir.

Nossa tarefa atual é buscar a unidade das esquerdas, com as organizações que realmente tem interesse em combater o fascismo e defender a classe trabalhadora. Também temos que trabalhar pela formação de uma frente ampla democrática de salvação nacional para aglutinar as forças políticas interessadas na defesa da soberania nacional e da democracia. É imperioso construir uma agenda política de defesa dos direitos individuais e dos segmentos sociais ameaçados pelo fascismo em sua campanha baseada no moralismo reacionário e obscurantista, que agride os mais elementares direitos humanos de nossa população e tenta sufocar os legítimos anseios de nossa sociedade.

Temos que honrar as lutas históricas de nosso povo. Temos que honrar os exemplos históricos de combate ao fascismo. Temos que honrar os combatentes que deram suas vidas para garantir os direitos da classe trabalhadora e a soberania nacional.

Derrotamos o fascismo no passado e vamos derrotá-lo mais uma vez. Abaixo o fascismo! Fora o imperialismo!

Á luta, companheiras e companheiros! A história nos exige isso.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Fechar