Maykon Santos

A realidade para além das mamadeiras da escola pública no Brasil

Por Maykon Santos

Esse ano eu comecei a dar aulas numa escola da periferia em Santos/SP. Sempre dei aulas em escolas de periferia. Mas rapidamente pude perceber que por ali a realidade era ainda mais dura.

Estou com algumas dificuldades de estabelecer diálogo com os alunos e alunas. Problemas que a grande maioria dos educadores brasileiros conhece: déficit de aprendizagem, indisciplina, falta de motivação.

A imensa maioria dos alunos e alunas mora numa favela que nasceu a partir de um lixão, dos catadores que viviam nesse lixão.

O lugar chama-se Vila dos Criadores, há anos eu não dava aula num lugar tão difícil.

Tentando adaptar-me.

Na última terça-feira (30/04), tinha preparado material com mapas, reportagens jornalísticas, cruzadinhas, vídeos como uma forma de melhorar a relação dos os alunos e alunas e o aprendizado. Muito trabalho na preparação das aulas.

Chego na escola e a equipe vem falar com os professores. Houve operação da Rota na comunidade, três mortos e feridos.

Em plena luz do dia. Relatos de tortura.

Aqui um parêntese. Há duas semanas um cabo da Rota que morava em Santos foi executado, possivelmente pelo PCC.Ele era acusado de executar um chefe do PCC em 2016.

Assim, a Rota tem feito diversas operações nas periferias da Baixada Santista.

Vou pegar a primeira sala, um sexto ano. Vejo uma aluna chorando. A minha melhor aluna da sala do ponto de vista pedagógico não foi à aula. Um tio foi assassinado. Metade da sala faltou.

O assunto dominou a aula. Relatos de como a violência policial é presente no cotidiano deles e delas. A imensa maioria já teve a casa invadida pela polícia.

O tráfico também está presente no cotidiano. Todos conhecem quem são os aviõeszinhos do bairro e todas as implicações disso.

Durante toda a manhã esse clima.

Penso qual a utilidade de discutir o mapa das primeiras civilizações nesse contexto. Deixo os alunos debaterem sobre o ocorrido, intervindo pouco. Sou novo na escola, ainda não tenho intimidade com eles e elas.

Sabe quando seu dia termina ali? Uma sensação de impotência gigantesca.

Eu sempre dei aula em escola de periferia. Obviamente sei que isso é bem comum.Mas nunca tinha ocorrido de maneira tão cruel e tão perto de mim.

Essa é a realidade de quem dá aula em escola pública de periferia.

Maykon Santos é professor das redes públicas municipais de Cubatão e Santos, historiador, militante do Círculo Palmarino e do PSOL e em defesa da educação pública de qualidade. Autor da página Professor Maykon Santos no Facebook. 

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Fechar