Leonel Camasão

Carta à deputada Ana Campagnolo

Cara deputada

Não fico de todo surpreso ao receber ataques pessoais de vossa excelência pelas redes sociais. “Fracassado”, “analfabeto funcional”, “apologista do uso de drogas” são adjetivos que a sra. dirigiu a minha pessoa. Saiba que quando os recebi, gargalhei de risadas com o seu desespero.

Parece ser este mesmo seu jeito de agir: colocada em contradição ou pressionada por seus atos pouco ou nada republicanos, ataca a moral das pesssoas, e não suas ideias.

Foi assim quando a a sra. reprovou em seu curso de Mestrado e processou sua ex-orientadora (e perdeu); também foi assim quando a Justiça lhe proibiu de criar uma rede ilegal de monitoramento de professores. Mais recentemente, é assim que a sra. lidou com a imprensa, que descobriu a nomeação ilegal de um de seus assessores, que acumulava outro cargo comissionado na Prefeitura de Itajaí. E também assim quando descobriu-se as “coincidências” no uso de diárias da Assembleia Legislativa nos atos de lançamento do seu livro pelo Estado.

Os fatos demonstram que, apesar de jovem, suas práticas e métodos são muito, muito antigos. Na falta de argumento melhor que o do teu adversário, ataque a sua honra, já diria Maquiavel. As burlas em diárias e em benefícios por dinheiro mostram a pequenez de sua atuação, muito similar ao que foi a de Bolsonaro nos tempos de parlamento. Por isso, chamavam-no “baixo-clero”. Irrelevante, sem propostas concretas, ideólogo de absurdos e devaneios.

Gente que se apossa de parte dos salários de seus assessores, nomeiam funcionários fantasmas e que agora descobriu-se, ainda, profundas ligações com grupos de extermínio e criminosos de toda sorte.

Vivemos o governo dos moralistas sem moral, daqueles que professam uma coisa e fazem outra. O governo dos incoerentes, raivosos, desprovidos de maturidade emocional e muitas vezes de capacidade cognitiva. Diria até que alguns ministros e deputados estão em completa alienação da realidade.

Pensando bem, até que faz sentido: seu PSL tem como deputados eleitos uma jornalista condenada por plágio, um gay enrustido que atacou uma deputada transexual, um ator pornô defensor “dos bons costumes”, um presidente que se diz “anti-corrupção”, mas está envolvido em todo tipo de maracutaia. A sra. apenas entra para o rol de estrelas incoerentes de seu partido.

Talvez a sra. e seus aliados ainda estejam na euforia da vitória eleitoral recente. Talvez estejam pensando que estão no topo do mundo e que agora, vão moldar a realidade a sua obtusa e atrasada forma de pensar. Digo-lhe e a sra. sabe disso, não vai ser assim. A popularidade do seu presidente derrete, assim como a suposta moral de seus seguidores eleitos.

Todas as suas alegações sobre o seu passado são apenas isso: alegações, propagadas pelas redes de mentiras na internet. Parece até, salvo engano, que criasse um novo fenômeno na rede: o auto-fake @AnaCampagnolo2. Seria um alter-ego para que tu possa dizer o que realmente pensa, sob a nuvem de um perfil fake? Talvez.

Se suas frases no Twitter – aquele que tinha selo azul e tudo – de 2011 e 2012 eram brincadeira ou estavam fora de contexto, jamais saberemos. Pois sua primeira atitude, ao serem reveladas sua suposta predileção pelo uso de maconha, foi destruir todas as provas – exatamente como se comportam os culpados.

Podes fazer todas as nuvens de fumaça – no sentido figurado, não na prática – para desviar a atenção sobre seus defeitos, incoerências e passado. Mas sinto que não terás escapatória.

Espero que todas as irregularidades envolvendo a sua pessoa sejam investigadas, e os responsáveis, punidos. Quem vende ilusões não tende a durar muito tempo na política.

Preferia fazer este debate de forma presencial e pública, para que os cidadãos deste Estado saibam melhor nossas diferenças. Entendo se a sra. não quiser participar, não seria nada diferente do que seu líder maior costuma fazer. Mas deixo o convite para sua apreciação.

Atenciosamente,

Leonel Camasão.

Leonel Camasão é jornalista, ex-candidato ao governo de Santa Catarina pelo PSOL e mestre em jornalismo pela UFSC

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Fechar