Maykon Santos

As reformas liberais ou como insistir nos erros (ou mentiras)

Por Maykon Santos

Em 2017 foi aprovado a terceirização irrestrita, o argumento era que nossa legislação trabalhista era burocrática e seriam criados novos empregos. Os empregos não vieram.

Argumentou-se que mesmo com a nova lei havia brechas que impediam os investimentos. O STF entendeu ser legal a terceirização em agosto de 2018. Os empregos não vieram mesmo assim.

Mas ainda é insuficiente! Precisamos mudar a CLT. Veio a Reforma Trabalhista em julho de 2017. Os empregos não vieram e ainda aumentou-se a informalidade.

Fechamos 2018 com recorde de trabalhadores sem carteira assinada, com 13,1 milhões. Nos últimos anos caiu o número de trabalhadores com carteira assinada, saindo de 36,6 milhões em 2014 para 32,9 milhões em 2018.

Argumentou-se tudo isso ainda era insuficiente. Havia um grande déficit fiscal e era necessário conter os gastos públicos. Aprovou-se a PEC dos Gatos Públicos em dezembro de 2017. E que agora haveria crescimento. Fechamos 2018 com o crescimento de 1,1% do PIB. Muito aquém dos previstos 2,7%.

Nem os empregos e nem o crescimento vieram como vimos. Na verdade, acabamos de saber que o desemprego aumentou em fevereiro deste ano, sendo de 12,4%. E já havia subido para 12% em janeiro!

Nenhuma das previsões de crescimento econômico e de empregos feitos com a Terceirização Irrestrita, Reforma Trabalhista e Teto dos Gastos Públicos se confirmou.

A bola da vez, novamente, é a Reforma da Previdência. Sem ela nem crescimento e nem empregos voltarão. Dado o histórico das últimas reformas, você acredita nisso?

Maykon Santos é professor das redes públicas municipais de Cubatão e Santos, historiador, militante do Círculo Palmarino e do PSOL e em defesa da educação pública de qualidade. Autor da página Professor Maykon Santos no Facebook.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar